O poder da oração em tempos difíceis

Campinas, 19 de março de 2020.

Caros pais e responsáveis,

“Quando vocês se levantarem pela manhã, repitam sempre: Ave Maria…  Dom Bosco

O poder da oração em tempos difíceis!

Aprendemos pela Sagrada Escritura que o homem adora com submissão, louva com alegria, pede com confiança, desabafa com sinceridade e até reclama a Deus com audácia. A oração tem esse poder de nos colocar dentro do coração de Deus e de lá recolher as bênçãos e graças de que tanto necessitamos. Na normalidade da nossa vida somos convidados a rezar. Em tempo difíceis somos convocados a ter uma postura orante ainda mais forte, com os joelhos dobrados no chão! No vocabulário de notas temáticas da Bíblia do Peregrino aprendemos que: “o cristão deve orar com confiança (Mt 18,19), com perseverança (Lc 18,1), sem titubear (Tg 1, 5-8), com sinceridade interna (Mt 6,6), em companhia (Mt 18,19) e com humildade (Lc 18, 9-14)”[1].

A oração é a maneira com a qual a tocamos o coração de Deus e Ele o nosso. Essa é a nossa principal vocação, nela elevamos até a plenitude a nossa essência de filhos e irmãos. Afinal,

“o homem, como um ser relacionado a Deus, é capaz de compreender-se não como um inimigo e concorrente de Deus, mas como criatura chamada por vocação existencial a ser o primeiro colaborador de todas as realidades criadas em quem Deus confia[2]

Somos criaturas amadas e protegidas por Deus. Ao criar Deus nos revela todo seu amor e proteção. No Salmo 8 temos um pergunta: “o que é o homem Senhor, para dele te lembrares, que é o ser humano, para visitares?”  A resposta está no cotidiano de nossas vidas, nas bênçãos e graças incontáveis que recebemos. Portanto, tempos difíceis revelam corações dóceis, ainda mais apegados a Deus. Rezemos incansavelmente, todos os dias, para que sejamos atendidos pelo coração milagroso e misericordioso do Senhor, nosso Pai. Ele não falta com a oração do seu povo. Ele não fecha o coração nas dificuldades. Pelo contrário, Ele se inclina e se apressa em nos salvar. Coloquemo-nos nessa atitude, nesse tempo, com fé, com persistência e coragem. E o próprio Deus virá em nosso auxílio. Que nossa Mãe Auxiliadora interceda por cada um de nós e nos proteja de todos os males. Amém!

 

Referências:
[1] Bíblia do Peregrino, p. 3031-3032
[2] SILVA, Luís Fabiano; S. BARBOSA, Ronaldo Zacharias. Antropologia Teológica: pensar humano na universidade. São Paulo: Ideias & Letras, 2017, p. 59
Recent Posts