Direção

Diretor Geral

Pe. Alexandre Luís de Oliveira

Diretor Administrativo Financeiro

Pe. José Adão Rodrigues da Silva

Diretor Pedagógico

Alencar André David

Diretor de Pastoral

Pe. Denis Alves Castro

Palavra do Diretor

Padre Alexandre Luís de Oliveira – SDB
Diretor Geral Colégio Liceu Salesiano Nossa Senhora Auxiliadora.

Fazei tudo por amor, nada por força.

(S. Francisco de Sales) 

27/07/1897 – 27/07/2022

 

125 ANOS DO LICEU NOSSA SENHORA AUXILIADORA

Queridos alunos, iniciamos o ano jubilar. Celebramos os 125 anos de fundação do Liceu Nossa Senhora Auxiliadora, e, para estes dias novos, provavelmente a proposta mais “revolucionária” é justamente ‘fazer tudo por amor, nada por força’. Neste sentido, o mais belo convite que este ano novo nos faz é o de «pertencermos completamente a Deus, vivendo em plenitude a Sua Presença no mundo, em meio às tarefas de cada dia. Para isso, contamos com a ajuda da Graça de Deus, que permeia o humano e, sem o destruir, purifica-o, elevando-o às alturas divinas».

Um pedido: Cuidemos, do nosso coração! À semelhança do Coração de Jesus, um Coração transpassado por duas flechas: o amor a Deus e o amor ao próximo, cultivemos o humanismo tão urgente, em tempos nos quais a humanidade precisa se humanizar, pois os verdadeiros valores são construídos sobre os sólidos alicerces do coração!

Dois são os reflexos que devemos manifestar no mundo: sentir o Coração de Deus e abrir o coração aos irmãos. Intimamente relacionados entre si, são o sentido de nossa confiança na Providência Divina e a nossa forma de nos aproximar e interagir com cada pessoa, ou seja: doçura e bondade: «entrego-me sem reservas ao Coração de Deus, e isso me dispõe a abraçar todos os detalhes que a sequência dos acontecimentos e circunstâncias me apresentam dia a dia.

Sabemos que tudo concorre para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu desígnio. Pois aos que ele conheceu desde sempre, também os predestinou a se configurarem com a imagem de seu Filho, para que este seja o primogênito numa multidão de irmãos”» (Rm 8, 28-29).

A doçura do coração, antes de ser uma questão de boas maneiras com o próximo, mesmo quando este é hostil, é tudo mais que agradável como caráter, é um reflexo da mesma confiança, desta vez em relação ao coração humano, sempre aberto à ação de Deus e sempre destinado à plenitude de vida. Doçura e bondade são abordagens humanas, destinadas a facilitar o mais possível, em todas as circunstâncias e situações, o encontro entre graça e liberdade no coração de quem está à nossa frente. Portanto, não é apenas uma questão de boas maneiras. Pense nisto!

Uma tarefa: Ao longo deste ano, e na vida inteira, é muito “salesiano” sentir e acreditar verdadeiramente que cada pessoa precisa de «um amigo da alma» em quem encontrar conselho, ajuda, orientação e amizade. E só se alcança tal nível de amizade quem tem um bom coração! Verdadeiro humanismo cristão, é este que nos faz sentir que só em Deus se encontra a boa nostalgia que sentimos por Ele! Ele salva o nosso coração do egoísmo e dilata os nossos espaços de amor a Ele e às pessoas! Em um mundo, como o nosso, que procura a liberdade, não deve passar despercebida a atualidade deste ensinamento: cada pessoa traz inscrita no profundo de si mesmo a saudade de Deus, e somente n’Ele encontra a alegria autêntica e a sua realização mais completa.

Desejo-lhes abençoado ano, ‘fazendo tudo por amor, nada por força’! Assim, um dia, sem dizermos uma só palavra, veremos o nosso coração “povoado” de pessoas que amamos. Doçura e bondade!

Com afeto salesiano,

Padre Alexandre Luís de Oliveira – SDB
Diretor Geral