Palavra do Diretor

“Trabalhar com amor é orar com as mãos.” 

São João Bosco

Querida Comunidade Educativa do Liceu Nossa Senhora Auxiliadora, iniciamos um novo ano, e não rara as vezes, nos pegamos envolvidos com esta pergunta antiga: Por que achamos tão difícil sermos felizes…? Não será porque nos lembramos do passado melhor do que foi?… Vemos o presente pior do que ele é?… E pensamos no futuro mais complicado do que ele será?…  Desta maneira, contrariando toda a ilusão oferecida pela sofisticação, busquemos tenazmente o que é simples. Deus aí está! E a resposta a esta pergunta existencial também se dá na simplicidade…!

No alvorecer destes dias novos, convido-os, como Família Salesiana, a estarem atentos aos grandes desafios humanos de nosso tempo: a continuarmos a sermos verdadeiros evangelizadores-educadores da fé de nossos jovens, adolescentes, crianças e suas famílias. A considerarmos o mundo a nossa “Casa Comum”, a nos relacionarmos com honestidade uns com outros, a vivermos uma cidadania comprometida com os mais nobres valores e que busca o bem, a tornar-nos um dom para os que se aproximam de nós, a decidirmos todos os dias pelo amor, fazendo a opção pelos menos favorecidos, a renovarmos a firme defesa aos Direitos Humanos e, em particular, aos direitos dos menores, que são o elo mais frágil da nossa sociedade. Até aqui, nada de sofisticado…! Simples itinerário, atual e perfeitamente praticável!

Na essência da educação salesiana encontramos: O serviço aos outros; o empenho na vida política; a honestidade pessoal e no trato alheio; a “alergia” a qualquer tipo de corrupção; a sensibilidade pelo mundo da migração; o criado e a “Casa Comum”; a tutela dos indefesos. Estes são os faróis que devem iluminar a nossa vida e a nossa missão de cada dia!

Assim, apoiados nestes elementos da pedagogia salesiana, queremos assumir novamente, os dois grandes pilares da educação de Dom Bosco e torná-los atuais: Sermos reconhecidos como “bons cristãos e honestos cidadãos!”

Desejo a todos um ano abençoado e na certeza de que a razão de nossa felicidade é esta: no momento em que o Amor assume a nossa fraqueza, a natureza humana recebe uma incomparável dignidade: ao tornar-se, Deus, um de nós, nós nos tornamos eternos!

 

Com afeto salesiano,

 

Alexandre Luís de Oliveira – SDB – Diretor Geral